caso não seja imediatamente redirecionado, estou em http://escritacarmim.blogspot.pt/

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

{o sr. lourenço}

hoje lembrei-me do senhor lourenço, o dono da papelaria/tabacaria lá da rua onde cresci.
o senhor lourenço era alto e grisalho e dava-me pastilhas gorila.
tinha o nome mais esquisito e feio do mundo, achava eu do alto da minha (pouca) experiência de vida.
simpatizava com ele, tinha um ar bondoso, mas não lhe dava muita confiança.
por aqueles dias eu não dava confiança a ninguém, era muito senhora do meu nariz e todo o meu mimo era para o meu pai.
a loja do senhor lourenço era ao cimo da rua, fora do alcance de visão da janela de casa, e eu só lá ía acompanhada, normalmente com o meu pai, meter o totobola.
a papelaria/tabacaria do senhor lourenço ainda existe, mas já não me parece bonita nem grande e nem me deram pastilhas por lá ter ido.
e eu, que adoro mudanças, estou para aqui a pensar que há coisas que nunca deviam mudar, que deviam permanecer iguais ao que são na nossa memória.

3 comentários :

  1. Também sinto isso algumas vezes quando vou visitar a minha terra.


    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda é mais estranho quando a nossa terra é já ali...
      :)

      Eliminar